CONHEÇA BARRETOS

CIDADE

SOBRE A CIDADE DE BARRETOS

Área da unidade territorial
1.565,639 Km²
Gentílico
Barretense
Matrícula - Ensino fundamental - 2012
13.184 matrículas
Matrícula - Ensino médio - 2012
4.532 matrículas
Latitude do distrito sede do município
-20,55722°
Longitude do distrito sede do município
-48,56778°
Altitude
530 m
Prefeito 2013/2016
Guilherme de Àvila - PTB
Estimativa Populacional IBGE-2013
117.779 hab.
Participação FUNDEB-2010
R$ 30.562.992,27
Resultados do Universo do Censo 2012
Valor do Fundo de Participação dos Municípios (FPM): R$ 19.511.444,06

POPULAÇÃO RESIDENTE

Total:
117.779
Homens:
54.169
Mulheres
57.932
Religião Católica Apostólica Romana
75.707 pessoas
Religião Espírita
4.369 pessoas
Religião Evangélicas
22.183 pessoas
Urbana
108.686
Rural
5.053
Sede Municipal
108.174

POPULAÇÃO RESIDENTE DE 10 ANOS OU MAIS DE IDADE

Total:
87.724
Alfabetizada:
82.576
Taxa de alfabetização:
94,1%

ESCOLAS

Escolas Municipais
17
Escolas Estaduais
11
Escolas Particulares
8
Escolas Técnicas
2
Escolas Rurais
4
Faculdades
5

NÍVEL ESCOLAR

Nº de escolas por série:
Pré-Escola: 46
Ensino Fundamental: 14
Ensino Médio: 16
Ensino Superior: 5

ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE

Municipais
24
Privados
28
Hospitais
04

OUTROS

Agências bancárias
10

FROTA 2010

Automóvel:
37.281
Bonde:
0
Caminhão:
1.909
Caminhão Trator:
271
Caminhonete:
4.504
Caminhoneta:
1.836
Chassi Plataf:
2
Ciclomotor:
504
Micro-ônibus:
213
Motocicleta:
20.842
Motoneta:
4.760
Ônibus:
557
Quadriciclo:
0
Reboque:
568
Semi-Reboque:
263
Sidecar:
14
Outros:
1.611
Trator:
5
Trator de rodas:
9
Triciclo:
1
Utilitário:
207
Total:
74.000

POPULAÇÃO ESTIMADA POR MIL


Fonte: IBGE

BREVE HISTÓRIA DE BARRETOS

O alferes João José de Carvalho e Antônio Francisco Diniz Junqueira, vindos de Minas Gerais, foram os primeiros desbravadores da região compreendida entre os rios Grande, Pardo e Cachoeirinha.

O primeiro formou a fazenda Palmeiras, banhada pelo ribeirão do mesmo nome e Antônio Francisco tomou posse das terras às margens do rio Pardo, criando a fazenda Pitangueiras.

Como capatazes dos colonizadores, vindos também de Minas, tomaram posse das terras à margem esquerda do ribeirão Pitangueiras, Francisco José Barreto e seu irmão denominaram essa gleba de ?Fortaleza?.

Após a morte de Francisco José Barreto, em 1848, seus filhos, auxiliados por um vizinho, Simão Antônio Marques, construíram uma capela sob a invocação do Divino Espírito Santo, em torno da qual foram se fixando novos moradores.

Em 1874, com a criação da Paróquia do Divino Espírito, no Arraial ?dos Barretos?, foi também instituída a Freguesia. Espírito Santo de Barretos passou a Município em março de 1885, alterando seu nome para Barretos em 06 de novembro de 1906, conforme Lei nº 1021. Durante sua evolução histórica, o grande território foi sofrendo inúmeros desmembramentos, quando seis Distritos sob sua jurisdição foram elevados a Município.

Formação Administrativa

Freguesia criada com a denominação de Espírito Santo de Barretos, por lei provincial nº 42, de 16-04-1874, subordinado ao município de Jaboticabal.

Elevado à categoria de vila com a denominação de Espírito Santo de Barretos, pela lei provincial nº 22, de 10-03-1885, desmembrado de Jaboticabal. Sede na vila de Espírito Santo de Barretos. Constituído do distrito sede. Instalado em 31-01-1890.

A sede municipal recebeu foros de cidade, por força da lei municipal datada de 08-01¬1897. Pela lei estadual nº 1021, de 06-11-1906, o distrito de Espírito Santo de Barretos passou a denominar-se Barretos. Pela lei estadual nº 1027, de 30-11-1906, é criado o distrito de Laranjeiras e anexado ao município de Barretos.. Pela lei estadual nº 1035, de 18-12-1906, é criado o distrito de Vila Olímpia e anexado ao município de Barretos Pela lei provincial nº 1139, de 31-10-1908, é criado o distrito de Monte Verde e anexado ao município de Barretos. Pela lei estadual nº 1141, de 16-11-1908, é criado o distrito de Itambé e anexado ao município de Barretos. Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município de Barretos é constituído de 5 distritos: Barretos, Itambé, Laranjeiras, Monte Verde e Vila Olímpia. Pela lei estadual nº 1404, de 23-12-1913, o distrito de Monte Verde passou a denominar¬se Cajobi.

Pela lei estadual nº 1571, de 07-12-1917, desmembra do município de Barretos os distritos de Olímpia ex-Vila Olímpia e Cajobi ex-Monte Verde. Para formar o novo município de Olimpia.

Pela lei estadual nº 1572, de 07-12-1917, é criado o distrito de Colina e anexado ao município de Barretos. Nos quadros de apuração do Recenseamento Geral de 1-IX-1920, o município de Barretos é constituído de 4 distritos: Barretos, Colina, Itambé e Laranjeiras. Pela lei estadual nº 2096, de 24-12-1925, desmembra do município de Barretos o distrito de Colina. Elevado à categoria de município. Em divisão administrativa referente ao ano 1933, o município de Barretos é constituído de 3 distritos: Barretos, Itambé e Laranjeiras. Nas divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, o município de Barretos é aparece figurando com 4 distritos: Barretos, Fortaleza, Itambé e Laranjeiras.

Pelo decreto estadual nº 9775, de 30-11-1938, o distrito de Fortaleza é extinto, sendo seu território anexado ao distrito sede do município de Barretos. Sob o mesmo decreto é criado o distrito de Frigorífico e anexado ao município de Barretos.

No quadro fixado para vigorar no período 1939-1943, o município é constituído de distrito 4 distritos: Barretos, Frigorífico, Itambé e Laranjeiras.

Pelo decreto-lei estadual nº 14334, de 30-11-1944, são extintos os distritos de Frigorífico e Laranjeiras, sendo seu territórios anexados ao distrito sede do município de Barretos. Sob o mesmo decreto são criados os distritos de Amoreira e Colômbia, criados com terras do extinto distrito de Laranjeiras e ainda altera a denominação do distrito de Itambé para Ibitu.

No quadro quadro fixado para vigorar no período 1944-1948, o município é constituído de 4 distritos: Barretos, Ibitu (ex-Itambé), Colômbia e Amoreira. Pela lei estadual no 233, de 24-12-1948, o distrito de Amoreira passou a denominar-se Alberto Moreira. Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o município de Barretos é constituído de 4 distritos: Barretos, Alberto Moreira ex-Amoreira, Colômbia e Ibitu Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1955. Pela lei estadual nº 5285, de 18-02-1959, desmembra do município de Barretos o distrito de Colômbia. Elevado à categoria de município. Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído de 3 distritos: Barretos Ibitu e Alberto Moreira. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 14-V-2001.

Alteração toponímica municipal Espírito Santo de Barretos para Barretos teve sua denominação alterado, por força da lei estadual no 1021, de 06-11-1906.

CLIMA

O clima no municíípio é predominantemente quente e seco. No verão são registradas temperaturas médias que variam dos 30 aos 38 graus. No inverno a variação média vai dos 13 aos 20 graus.

ATIVIDADES ECONÔMICAS

A economia do município é baseada principalmente na produção de carne, citrus, borracha, grãos e mais recentemente na cana-de-açúcar, e ainda na industrialização de carne tanto para o mercado interno quanto para o externo, e numa atividade comercial e de prestação de serviços com abrangência regional.

PREFEITO 2013/2016

Guilherme de Àvila
Guilherme de Àvila